O que é o Software Livre?

Livre, no Software Livre refere-se à liberdade, não ao preço. O termo tem sido usado nesse sentido desde a década de 1980, a primeira definição completa e documentada parece ser a que apareceu no Boletim informativo GNU, Vol.1 Nro. 1, publicado em Janeiro de 1989. Em particular, quatro liberdades definem o Software Livre:

Estas liberdades são direitos e não deveres, embora respeitar essas liberdades para sociedade pode, por vezes, obrigar o indivíduo. Cada pessoa pode optar por não usá-las, mas você também pode escolher usá-las todas. Note-se que aceitar as liberdades de Software Livre não exclui o uso comercial. Se um programa impede o uso ou distribuição comercial, não é Software Livre. De fato, um crescente número de empresas baseia o seu modelo de negócios completamente ou, pelo menos parcialmente no Software Livre, incluindo alguns dos maiores fornecedores de software privativo. No Software Livre é legal o fornecimento de ajuda e assistência, embora não seja um requerimento.

Terminologia

O Inglês parece ser a única língua com uma ambiguidade tão certa entre liberdade e preço ("free" pode significar tanto "livre" como "grátis"). Quando é traduzido para outros idiomas, "Free Software" torna-se "Logiciels Libre" em francês, "Software Libre" em castelhano, "Software Livre" em Português, "Fri Software" em dinamarquês ou qualquer outro que for o termo equivalente a liberdade na língua local.

Código Aberto

Em 3 de fevereiro de 1998, tirando proveiro do aviso de lançamento do navegador Netscape como Software Livre, um grupo de pessoas reuniram-se em Palo Alto no Silicon Valley e fizeram propostas para iniciar uma campanha de marketing para o Software Livre usando o termo "Código Aberto"("Open Source"). O objetivo era conseguir uma rápida comercialização e aceitação do Software Livre por parte das empresas e do capital de investimento da nova economia em expansão. Como meio para esse fim, eles decidiram conscientemente deixar de lado as questões de longo prazo (tais como a filosofia, a ética e os efeitos sociais) relacionadas com o Software Livre, sentindo que eram obstáculos para uma rápida aceitação por parte dos investidores e empresários. Propuseram centra-se exclusivamente nas vantagens técnicas1.

Muitas vezes, de boa fé algumas pessoas referem-se ao Software Livre com o termo "código aberto", que originalmente foi definido da mesma forma que o Software Livre, em termos de termos da licença de execução, e está a ser usado cada vez mais. Hoje é regularmente usado regularmente para tudo o que ficar entre software livre e proprietário "Programa de Segurança Governamental" (SGP) da Microsoft2.

Libre Software

Quando a Comissão Europeia analisou a Lei de Software Livre, encontraram maneiras de evitar a ambigüidade da frase "Free Software" e os equívocos da "Open Source", o que levou à adopção de um terceiro termo, que apareceu ocasionalmente por volta de 1992: "Libre Software". O termo tem mantido o seu significado e usa-se de forma idêntica à do Software Livre. Por isso, pode ser uma solução para aqueles que temem ser mal interpretados quando falam Inglês.

Referências

  1. Para referências, veja a FAQ da OSI: Qual é a relação do «Código Abierto» com o «Software Libre»? A Open Source Initiative é um programa de marketing do Software Livre, uma liberação para uso com fundamentos pragmáticos e não na natureza ideológica. A essência vencedora não mudou. Porém, a atitude e simbolismo perdedores, sim.
  2. Neste programa, os governos e organizações intergovernamentais pagam taxas substanciais para poder dar uma olhada superficial em algumas partes do código-fonte do Windows de instalações especiais da Microsoft. Isto pode aumentar a sensação de segurança, mas é essencialmente inútil, sobretudo porque não há maneira de que eles vejam se isso é o que eles realmente têm nos seus computadores. E, também, não lhes outorga liberdade.